USOS DO CARVÃO MINERAL:

O carvão mineral foi o propulsor do grande salto na capacidade de produção de que a Humanidade necessitava. Em 1698, surgiu a primeira máquina a vapor de interesse industrial, elaborada por Thomas Savery, um engenheiro militar inglês. Essa máquina tinha por objetivo retirar água dos poços de minas de carvão.

Em 1765, James Watt, um fabricante de instrumentos para a Universidade de Glasgow, procurando uma maneira de aumentar sua eficiência e minimizar os custos com o carvão utilizado como combustível elaborou uma máquina com um condensador que minimizava as perdas de calor e que possuía outras finalidades, como a propulsão de moinhos e tornos, pois o movimento de rotação substituiu o de vai e vem típico das máquinas a vapor (como nas antigas locomotivas). Esta máquina foi a mola propulsora da Revolução Industrial.

A Revolução Industrial levou à substituição das ferramentas pelas máquinas, da energia humana pela energia motriz e do modo de produção doméstico (ou artesanal) pelo sistema fabril. O advento da produção em larga escala mecanizada deu início às transformações dos países da Europa e da América do Norte.

Estas nações se transformaram em predominantemente industriais e suas populações se concentraram cada vez mais nas cidades. Até hoje são conhecidas como nações do “Primeiro Mundo” ou “Desenvolvidas”.

CARVÃO COMBUSTÍVEL

Também conhecido como “carvão vapor”, utilizado em caldeiras, geradores de calor e fornos rotativos de calcinação. Sua maior aplicação industrial tem sido na geração de energia elétrica, em usinas que usam caldeiras de leito fluidizado ou com queima pulverizada.

Mais recentemente, o carvão mineral após passar por um processo de gaseificação, está sendo empregado em substituição ao gás natural e ao óleo BPF, em diferentes aplicações industriais. No Brasil já há tecnologia para tal, a partir de gaseificadores com leito fluidizado.

CARVÃO METALÚRGICO

É um carvão mineral com características especiais de aglomeração, após processo de pirólise, utilizado como insumo na produção de coque, tanto para a siderurgia, como em fundições. Quando não tem a característica aglomerante desejada, pode ser usado na produção de briquetes de coque.

CARVÃO ANTRACITOSO PARA TRATAMENTO DE ÁGUA

O carvão mineral antracitoso difere dos demais pelo seu menor conteúdo de matérias voláteis, que lhe proporciona características adequadas para o tratamento de água destinada ao consumo humano, em especial na redução da turbidez.

CARVÃO PARA MOLDES DE FUNDIÇÃO

Alguns processos produtivos de fundição exigem a utilização de moldes compostos, basicamente, por areia, bentonita e outros aditivos. Entre eles, é utilizado o pó de carvão mineral, conhecido como “carvão Cardiff”, que tem como finalidade a geração de um tipo de carbono, denominado de carbono vítreo, que auxilia a retirada das peças fundidas, sem danificar os moldes.

CARVÃO ATIVADO

O carvão mineral passando por um processo extremo de redução de matérias voláteis cria microporos e uma alta superfície específica. Num processo posterior, as superfícies criadas são ativadas quimicamente, tornando-o um produto muito utilizado, tanto no tratamento de água, como de efluentes industriais, para adsorção de metais e outros constituintes contaminantes.

CARVÃO COMO FONTE DE CARBONO ORGÂNICO

Fertilizantes organominerais necessitam ter um conteúdo de carbono orgânico que em alguns casos é obtido pela utilização de “cama de frangos” e turfa. O carvão mineral pode substituir tais componentes, com a vantagem de proporcionar uma melhor granulação do fertilizante.

CARVÃO COMO COMBUSTÍVEL AUXILIAR NA INDÚSTRIA CERÂMICA

Os fornos utilizados nas indústrias de cerâmica vermelha ou estrutural são, reconhecidamente, de baixa eficiência energética, com perdas de calor significativas e dificuldades na distribuição do mesmo através da carga que está sendo processada.

A utilização de carvão mineral em pequenas proporções misturado à massa acelera a produção de tijolos, telhas e blocos estruturais, além de diminuir a incidência de peças produzidas com qualidade inferior. O mesmo procedimento pode ser utilizado na produção de tijolos refratários.

CARVÃO COMO FONTE DE COMBUSTÍVEL LÍQUIDO

Por exemplo, em Dakota do Norte (Estados Unidos) a Usina de Combustíveis de Great Plains converte carvão mineral em gás natural sintético (syngas). O syngas produzido a partir de carvão mineral também pode ser usado ​​para produção de eletricidade e hidrogênio. Até o momento, nenhuma instalação comercial nos Estados Unidos produz combustíveis líquidos a partir do carvão mineral, contudo na África do Sul ele é convertido em líquidos há décadas.

CARVÃO COMO REDUTOR NA RECUPERAÇÃO DE CHUMBO

No Brasil há uma grande rede de logística reversa fazendo com que as baterias veiculares retornem para a recuperação de chumbo, em plantas de redução. O carvão mineral (natural ou antracitoso) é fonte de carbono no processo de redução de chumbo.

MATRIZ

Rua Sergipe, nº. 475, 8º andar, Sala 806

CEP 01.243-001 – Higienópolis

São Paulo – SP

FILIAL – JAZIDAS

Rua Dr. Fajardo, 245

CEP 84.285-000 – Figueira – PR

Telefone (43) 3547-8300

Expediente 07:30 às 11:30 das 13:00

às 17:30 (de segunda a sexta-feira)